PROBLEMAS COMUNSREVIT

Função das camadas

 Função das camadas. Será que é apenas para organizar os materiais e sua sequência de aplicação ou temos alguma outra funcionalidade que não entendemos corretamente? Aprenda mais sobre esse recurso!

Piso, lajes e paredes “reais” raramente são construídas com uma única camada de material. E cada material tem uma finalidade diferente, podendo ter função estrutural, isolar umidade ou ruído, acabamento, etc.

Por exemplo, ao criarmos uma parede em nosso projeto, nos preocupamos onde cada camada será posicionada neste complexo “sanduíche”, além de sua espessura e tipo de material. Mas e a coluna função? Você até classifica por acabamento ou estrutura, mas e as demais camadas?

função-das-camadas

Vamos entender alguns pontos importantes na organização das camadas.

ETAPAS DE UMA OBRA

Quando criamos uma parede no Revit, (do jeito que uma parede deve ser) incluímos todas as camadas necessárias a essa parede, considerando desde a parede bruta (bloco, tijolo, concreto, etc), passando por suas camadas intermediárias (chapisco, reboco, etc) chegando até a sua face acabada (pintura, revestimento cerâmico, etc).

Porém durante a execução de uma obra estas camadas são realizadas em momentos diferentes, e obviamente, obedecendo uma sequência.

função-das-camadas
.                                            Fonte: www.equipedeobra.pini.com.br

Ah, mas até aí é só colocar as camadas na sequência que da tudo certo!

Mais ou menos. Organizar o “sanduíche” de camadas da sua parede certamente irá deixar bem claro a sequência de execução dos materiais correspondentes as suas camadas. Mas e quando a sua parede tiver que se conectar com o piso ou a laje?

Por exemplo, na etapa de fazer a camada de chapisco, ficará mais simples se já o fizer na parede e também no teto. Ou você pode ter uma camada de impermeabilização que não vai existir na parede, apenas no piso. Compreende como as camadas são realizadas em momentos diferentes?

função-das-camadas

Por este motivo, temos um campo chamado Função (Function), justamente para determinar a prioridade de cada camada e como elas se comunicam ou mesmo se conectam. Vamos entender quais prioridades que podemos utilizar.

FUNÇÃO (FUNCTION) ou PRIORIDADE DAS CAMADAS

De acordo com a Função atribuída para a camada ela passa a ter um grau de prioridade, isso permite que  uma camada pode se unir a outra com função correspondente. Observe que ao lado das funções escolhidas temos um número entre colchetes [X]. Sendo que [1] é alta prioridade e [5] baixa prioridade. O Revit faz a conexão entre camadas de acordo com sua prioridade.

função-das-camadas

Mas em que situações eu utilizo essas funções? Vamos entender um pouco melhor o que o Revit quer dizer com cada uma delas:

  • Estrutura [1] (Structure)  – Camada que suporta cargas tando do chão como do teto, tendo materiais variados de acordo com o sistema construtivo adotado.
  • Substrato [2] (Substrate)  – Camada como chapisco, embosso, gesso, etc que serve como base para a aplicação de outro material.
  • Camada Térmica/Ar [3] (Thermal/Air Layer) – Camada para materiais de isolamento térmico ou de ar, podendo ou não ser preenchida.
  • Acabamento 1 [4] (Finish 1) – Camada de acabamento exterior.
  • Acabamento 2 [5] (Finish 2) – Camada de acabamento interior.
  • Membrana (Membrane Layer) – Camada de impermeabilização.

Tá, mas cade a opção pra chapisco? E a de rejunte?

O Revit é um programa que pode ser utilizado no mundo inteiro, porém cada lugar do mundo tem suas técnicas construtivas e principalmente a sua matéria-prima de maior abundância. Nos EUA é comum casas serem construídas em madeira, já no Brasil trabalhamos muito com blocos e por aí vai.

função-das-camadas

Logo o título das funções pode não ser muito familiares para o nosso sistema construtivo, porém não se preocupe com isso, se preocupe com os números.função-das-camadas

As conexões entre as camadas de piso, parede, teto, laje, etc são realizadas de acordo com seus respectivos níveis de prioridade. Por exemplo, como que um piso se comunica com uma parede? Vamos considerar um piso com as seguintes camadas: contra-piso, impermeabilização, argamassa de assentamento de piso e piso cerâmico.

função-das-camadas

E para as paredes vamos considerar as seguintes camadas: alvenaria (bloco), chapisco, reboco, argamassa de assentamento e revestimento cerâmico.

função-das-camadas

Agora vamos construir esta “casa” sobre uma laje qualquer. Não esquecendo de realizar a união entre piso e paredes.

função-das-camadas

Caso a união não tenha ocorrido de maneira automática você pode realizá-la manualmente indo até a aba Modificar (Modify), no painel Geometria (Geometry), clicando em União (Join) e selecionando a opção Unir Geometria (Join Geometry). em seguida basta clicar nos elementos que deseja unir (clique na parede e no piso).

função-das-camadas

Vamos ver agora a junção da parede e do piso. Observe como as camadas se encaixam.

função-das-camadas

Isso ocorre devido a escolha adequada da função de cada camada. Por exemplo, no Piso a camada Contra-piso esta como função Estrutura [1] (Structural) e na parede a Alvenaria esta com a função Estrutura [1] (Structural) também, logo a conexão de ambas é imediata.

função-das-camadas

Agora observando as camadas do piso para impermeabilização e argamassa e a camada de argamassa da parede, temos o seguinte resultado:função-das-camadas

Como estas camadas estão com sua função como Camada Térmica/Ar [3] (Thermal/Air Layer) elas se conectam, já que serão executadas em um mesmo momento no decorrer da obra.

Ah, mas são só detalhes, não vai fazer diferença no final das contas!

Vai sim, justamente em função das áreas dos materiais. Se as camadas “se atravessam” ou não estão devidamente se conversando, teremos pequenas diferenças em relação ao tamanho da área. Em uma residência pode ser pouca diferença, mas imagine em um prédio inteiro!

Ta, mas e o limite de núcleo? Vamos entender como ele funciona.

LIMITE DE NÚCLEO

Considere uma construção brasileira de uma residência comum. Subimos as paredes e colocamos a laje, e fazemos um contra-piso interno. Esta seria a etapa do limite de núcleo.

No Revit, corresponde a Camada acima da virada do revestimento (Layers Above Wrap). Imagine uma situação na qual uma parede qualquer fique com o seu topo aparente. Isso faria com que o recheio do “sanduíche” da parede ficasse visível.

função-das-camadas

Obviamente esta face aparente em uma obra receberia o acabamento adequado, porém quais camadas devem revestir este topo aparente?

A resposta é simples, todos os que estiverem fora do limite de núcleo. Observe o que acontece quando configuramos a Virada do revestimento padrão (Default Wrapping) no campo Nas Extremidades (At Ends) de nenhum para interno ou externo.

função-das-camadas

Como sua parede tem duas faces você deve decidir qual delas fará a “curva” e revestirá o topo. Se quiser que alguma camada não faça esta “curva” ela deve ser inserida entre as camadas de Limite de núcleo.

Este tipo de preocupação é o que chamamos de Modelagem BIM (Building Information Modeling), processo na qual fazemos uma simulação do projeto e não simplesmente uma maquete eletrônica. Falaremos muito disso em publicações futuras.

Espero que com isso o processo de trabalhar com camadas no Revit passe a ser mais tranquilo e preciso.

Gostaram? Curta nossa página! QualifiCAD!

Participem do nosso grupo! Grupo QualifiCAD

Dúvidas? Comentem!

Autor

Luis André

Luis André

Fundador do QualifiCAD, arquiteto, designer de produto, mestre em arquitetura, apaixonado por tecnologia, softwares de arquitetura e maquetes eletrônica. É leitor de quadrinhos e ilustrador nas horas vagas, mas ocupa quase todo tempo produzindo conteúdo para o site. Mas ama fazer isso!

9 Comentários

  1. 3 de setembro de 2016 at 06:54 — Responder

    Olá,
    Muito bom seus artigos.

    Att.
    Elton

  2. 13 de janeiro de 2017 at 22:56 — Responder

    Muito interessante e importante essa abordagem, muitos dos projetos que vejo no Revit não tratam essas questões.

    Valeu pelas dicas.

  3. vinicius
    21 de janeiro de 2017 at 23:33 — Responder

    Excelente post.

  4. 23 de janeiro de 2017 at 15:24 — Responder

    Seus artigos são muito esclarecedores e didáticos. Os esquemas e imagens ajudam muito a solucionar as dúvidas!

    Obrigado.

    • 23 de janeiro de 2017 at 19:45 — Responder

      Olá Gustavo.

      Obrigado pelo feedback, é bom saber que o formato das publicações permite um bom entendimento.

      Um abraço!

  5. Elvis Tharlles
    20 de setembro de 2017 at 01:54 — Responder

    Conteúdo excelente parabéns!

  6. Mateus
    4 de maio de 2019 at 16:55 — Responder

    Muito bom, material excelente!

  7. Daniel
    29 de junho de 2019 at 13:57 — Responder

    Legal sua explicação, mas fica uma dúvida, como fazer a mesma coisa, só que na vista de corte? e se eu quiser revestir o topo (literalmente) da parede, no meu caso, estou fazendo jardineiras de 40cm que são rebocadas e com textura no entorno delas.

    • 29 de julho de 2019 at 21:36 — Responder

      Olá Daniel,

      Infelizmente não é possível. Já vi gambiarras onde a pessoa usou parede empilhada com uma espessura equivalente a do acabamento externo ou usou dois revestimentos na mesma camada e deixou com uma espessura minima também.

      Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *