MODELAGEMFAMÍLIASREVITORGANIZAÇÃODESENHO E EDIÇÃO

Planos de referência – revit

Planos de referência no Revit são recursos fundamentais que qualquer profissional precisa conhecer, principalmente para o processo de criação e desenvolvimento de famílias paramétricas. Mas antes vamos entender o que é um plano de referência.

PLANO DE REFERÊNCIA

Planos de referência não são apenas linhas de construção, mas sim um importante recurso no processo de modelagem e principalmente na criação de famílias.

Um plano de referência é um elemento que apesar de ser visível apenas em vistas 2D, trata-se de um elemento 3D e como o próprio nome diz, ele é um plano que serve de referência para o desenvolvimento do seu projeto.

Mas se ele não aparece na vista 3D, como sei que ele é um elemento 3D?

Simples, ao criar um plano de referência em uma vista de planta, Nível 1, por exemplo, o mesmo plano é visível nas demais vistas alinhadas, ou seja, em todas demais plantas, sejam elas de Piso, Forro, estruturais e inclusive elevações.

Outro detalhe importante, um Nível de referência não é exibido na impressão, então pode ficar tranquilo e usar quantos planos de referência você precisar sem ter que se preocupar em ficar ocultando os planos.

Temos, a grosso modo, duas aplicações para o plano de referência, sendo que ele pode ser utilizado apenas como linhas de esboço (ou croqui) tendo muito pouco impacto nas geometrias, por exemplo, para definir o percurso de uma escada.

Ou pode ser usado como ferramenta de controle de geometrias, sendo esta a sua maior aplicação, principalmente na criação de famílias.

A ferramenta está disponível na aba Arquitetura, dentro do painel Plano de trabalho.

Ao clicar em Plano de referência, será exibido o menu de contexto, onde você pode fazer alguns ajustes.

Observe que não temos muitas alternativas, principalmente no que se refere a desenho. Os planos de referência são exclusivamente retos, logo temos duas opções de desenho, sendo as ferramentas Linha e Selecionar linhas.

Os usos do plano de referência são os mais variados, indo desde servir de referência para a criação de um muro externo ou mesmo a inclinação de uma parede.

Um outro detalhe que temos nos planos de referência e a opção 2D/3D. Ao selecionar um plano qualquer, observe que próximo as extremidades temos o texto 3D.

Clicando sobre o 3D uma vez ele passa para o modo 2D. Como um plano de referência é um elemento 3D, este recurso permite você utilizar a ferramenta propagar extensões, recurso muito utilizado em eixos e níveis.

Não sabe utilizar a ferramenta propagar extensões? Calma, veja esta publicação que fiz onde explico com detalhes como trabalhar com esta incrível ferramenta.

EIXOS E NÍVEIS – PROPAGAR EXTENSÕES

Após criar um plano de referência, você pode criar restrições as geometrias do seu projeto, de forma que ao movimentar o plano de referência, a geometria também seja movimentada.

Para criar uma restrição geométrica, podemos utilizar, pode exemplo, o comando Alinhar.

Após utilizar o comando alinhar, é necessário você clicar sobre o cadeado, desta forma estabelecemos uma restrição. Com a restrição, ao movimentar o plano de referência, os objetos restringidos serão movimentados juntos com o plano.

Este é o princípio mais básico para a criação de famílias, onde os parâmetros de controle das famílias são aplicados aos planos de referência, e não as geometrias.

Porém de acordo com a complexidade da sua família, será necessário uma quantidade imensa de planos, desta forma podemos usar um outro recurso, que é dar nomes aos planos de referência.

O processo é bem simples, selecione o plano de referência e vá até a aba de Propriedades. Em Dados de identidade, temos um campo Nome, que por padrão está em branco.

Você também pode inserir o nome do plano diretamente no plano de referência, clicando dentro das caixas de texto.

A criação de nomes para os planos não é obrigatório, mas irá facilitar não apenas na identificação, mas também para o uso dele como um plano de trabalho, como veremos em outra publicação.

Se mesmo a criação de nomes para os planos não se mostre suficiente, você pode organizar os planos em subcategorias.

A criação de subcategorias deve ser realizada dentro Estilos de objetos, que pode ser acessada na aba Gerenciar, painel Configurações e clicando no botão Estilos de Objetos.

Você terá acesso a janela Estilos de objetos. Localize dentro da aba Objetos de anotação a opção Planos de referência.

Nesta janela é possível controlar o comportamento gráfico de todas as geometrias do seu projeto. Se quiser saber mais sobre esta janela acesse a publicação abaixo:

PESO GRÁFICO E ESPESSURA DE LINHA – REVIT

No canto inferior direito temos acesso a opção de Modificar subcategorias. Aqui basta manter a opção Plano de referência selecionada e clicar em Nova.

A vantagem é conseguirmos controle independente da exibição, cores e tipos de linhas, o que proporciona um desenho muito mais organizado.

Um outro recurso, caso você esteja trabalhando com Caixa de escopo, é possível vincular um plano de referência a caixa, para isso basta selecionar o plano e em Propriedades, dentro de extensões selecionar o nome da caixa de escopo desejada.

Em um primeiro momento você não notará diferença. Mas se observar bem a “bolinha” na extremidade do plano de referência se moveu.

Este recurso faz com que o plano de referência fique vinculado a caixa de escopo, desta forma, se você redimensionar a caixa de escopo a linha do plano de referência se ajusta automaticamente.

Não sabe utilizar a caixa de escopo? Calma, tenho uma publicação exclusiva sobre esta ferramenta, basta clicar no link abaixo:

REVIT – CAIXA DE ESCOPO

Certo, já vimos sobre a caixa de escopo, nome e subcategoria, isso é tudo?

Temos que observar o plano de referência pode ser utilizado diretamente no projeto, como vimos nas opções acima, mas também pode ser utilizado dentro das famílias.

Ao entrar dentro de uma família e selecionar qualquer plano de referência, observe que dentro das propriedades temos outras opções.

Logo no primeiro campo temos a opção Fechamento da parede. Confesso que este recurso é relativamente confuso a principio, mas dependendo da sua necessidade pode ser bem útil.

Obviamente o recurso Fechamento da parede esta relacionado a paredes, porém ele afeta um recurso disponível dentro das propriedades de tipo de uma parede.

Para isso, selecione a parede desejada e no painel Propriedades clique em Editar Tipo.

Na janela Propriedades de tipo, no campo Estrutura clique em Editar.

Agora que estamos na janela Editar montagem você deve localizar o campo Virada do revestimento padrão.

Aqui temos a opção de controle Nas inserções. Mas, o que exatamente isso faz?

Esta opção permite que você escolha como o acabamento da parede se comporta quando uma família é hospedada de forma que “fure” a parede, por exemplo, portas e janelas.

Temos basicamente quatro opções: Não virar, Exterior, Interior ou Ambos.

Certo, mas o que a ferramenta Fechamento de parede afeta nisso?

Basicamente você consegue fazer com que o plano de referência desejado cause uma interferência/limitação da virada de revestimento. Mas vamos exemplificar para ficar mais simples o entendimento.

No exemplo criei uma parede com 30cm para ficar bem visível. Também utilizei a opção de virada de revestimento como Ambos. Na porta que está inserida na parede, nenhum dos planos de referência desta família tem a opção Fechamento de parede ativado.

Observe que como a opção selecionada foi Virada do revestimento: Ambos, o resultado foi que ambos os revestimentos se encostaram. Agora vou acessar a família e visualizar os planos de trabalho existentes.

A única alteração que vou fazer é acrescentar dois planos de referência e assinalar a opção Fechamento da parede de ambos. Agora observe o resultado.

Observe que mesmo com a opção virada de revestimento ativada, quando o revestimento encostou no plano de referência marcado como Fechamento da parede, o revestimento simplesmente parou ali.

Como eu disse, relativamente confuso, mas no final das contas não é tao complicado assim.

Uma outra opção exclusiva das famílias se refere a opção É referência. Esta opção controla a prioridade do plano de trabalho selecionado.

Você já deve ter reparado que em algumas famílias, quando vamos, por exemplo, usar o comando Alinhar, é comum “acenderem” algumas linhas que não são visíveis, geralmente linhas de centro.

Essas linhas de centro são na verdade planos de referência que só são visíveis dentro da família, desta forma, para que seja possível acessá-las dentro do seu projeto é necessário que a opção É referência seja corretamente configurada.

Topas as opções se comportam como referências fortes, com exceção da Referência fraca e Não é uma referência.

Nossa, mas pra que tantas opções assim?

Não quer dizer que você vai precisar de todos as opções e mesmo assim, em algumas famílias, essas opções são na verdade limitadas. Tudo depende da informação que se deseja obter.

Por fim, temos a opção Define a origem. Este campo determina o ponto de inserção da família. Entenda como por onde o cursor do mouse irá “segurar” a família assim que ela for carregada.

Parece bobagem mas isso facilita muito o posicionamento da família no projeto, oferecendo agilidade ao processo de trabalho.

Então é isso! Agora você tem uma das principais ferramentas de desenho e modelagem tanto de projetos como de famílias!

Curtam nossa página! Facebook! E não esqueça de fazer uma avaliação da página!

Participem do nosso grupo! Grupo QualifiCAD

Dúvidas? Comentem!

Autor

Luis André

Luis André

Fundador do QualifiCAD, arquiteto, designer de produto, mestre em arquitetura, apaixonado por tecnologia, softwares de arquitetura e maquetes eletrônica. É leitor de quadrinhos e ilustrador nas horas vagas, mas ocupa quase todo tempo produzindo conteúdo para o site. Mas ama fazer isso!

2 Comentários

  1. 24 de novembro de 2019 at 02:14 — Responder

    Gostaria de continuar recebendo informações, publicações e vídeo aulas a partir do seu site. É muito educativo e poderá ajudar-me no desenvolvimento de trabalhos relacionados com o assunto.

    Obrigado

    Manuel Pimentel

    • 29 de novembro de 2019 at 20:12 — Responder

      Olá Manuel,

      Basta se cadastrar na tela inicial em Newsletter, assim sempre que sair uma publicação você receberá um e-mail avisando.

      Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *